Início conteúdo principal

Arquivos da categoria: Notícias

Na foto, alunos, pais e educadores se reunem em frente a Fundação Dorina com os livros da Coleção Regionais.

Coleção Regionais é lançada com o tema Diversidade cultural brasileira e tem sua primeira roda de leitura

Depois de muito trabalho, horas de reuniões e ajustes, lançamos na última semana, aqui na Fundação Dorina Nowill, em São Paulo, a Coleção Regionais, a cultura brasileira acessível a todos. O projeto vai distribuir 63 mil livros (para instituições, organizações, escolas e bibliotecas que atendem pessoas com deficiência visual) em formatos acessíveis e interativos: braile, impressão em fonte ampliada, ilustrações, áudio e digital acessível Daisy, sobre a literatura, folclore, culinária, música e turismo brasileiros. Cada conjunto da coletânea é composto por 21 títulos que expõem a cultura popular nacional. As obras de culinária e folclore são em fonte ampliada e braile; as de literatura tem adaptação para versão em áudio de títulos já existentes no mercado editorial; o de turismo em digital acessível Daisy; e os de música oferecem as informações em fonte ampliada e braile, além de partituras acessíveis.

Com a participação dos membros da Rede Nacional de Leitura Inclusiva mais de 300 organizações que constroem coletivamente ações culturais em todas as regiões brasileiras foram colaboradores e indicaram personagens folclóricos, receitas típicas e músicas de suas regiões.

“A Rede Nacional de Leitura Inclusiva é um projeto da Fundação Dorina tem um papel muito importante na disseminação de conhecimento e garantia do direito à leitura da pessoa com deficiência”, afirma Ana Paula Silva, coordenadora deste projeto. “Além de nortear sobre as demandas de cada região, que muito contribuíram para a construção do projeto, atuam como multiplicadoras locais, disseminam práticas de leitura inclusiva e sensibilizam a sociedade, e ampliam as oportunidades de leitura das pessoas com deficiência visual em todo o Brasil”, explica.

CONFIRA ABAIXO O VÍDEO SOBRE A COLEÇÃO REGIONAIS COM AUDIODESCRIÇÃO:

Círculo cultural

Como forma de estimular a literatura inclusiva, serão realizadas rodas de leitura em 20 municípios brasileiros com a utilização da Coleção. “Cada roda de leitura é desenhada considerando a riqueza e diversidade local, com o apoio dos Grupos de Trabalho da Rede Nacional de Leitura Inclusiva, proporcionará aos participantes uma rica experiência cultural, com livros para leitura sem barreiras à pessoa com deficiência visual, incentivando os presentes a serem promotores e disseminadores da inclusão”, explica Ana Paula Silva.

Na foto, a roda de leitura inclusiva com os convidados, a escritora e os articuladores.

A primeira roda já aconteceu, foi no dia do lançamento, na quarta-feira, 30/08. Quem compartilhou com a gente dessa primeira propagação foi a Biblioteca Maria Firmina dos Reis, temática em Direitos Humanos, da Cidade Tiradentes, extremo leste da capital paulista. A leitura proposta foi umas das mais conhecidas da nossa cultura, Bumba Meu Boi, no círculo a escritora Nireuda Longobardi leu a obra para alunos, pais e educadores, enquanto uma das articuladoras do projeto , Perla Assunção, fazia a audiodescrição e convidou todos os participantes a fechar os olhos e vivenciar essa construção de imagens com palavras.

Na foto, três crianças leem a obra Bumba Meu Boi, livro selecionado para a primeira roda de leitura da Coleção Regionais.

“Foi um momento lindo! Esse projeto abre muitas possibilidades. A mais importante é transmitir a relação livro, leitura e deficiência visual, em seguida, a exploração da leitura sensorial, agora vou conseguir trabalhar a leitura com mais riqueza, utilizando outros sentidos, especialmente por esse mergulho na cultura popular”, finaliza a Charlene Lemos, coordenadora da Biblioteca Maria Firmina.

Aproximando ainda mais a leitura, assim como na história escolhida, a roda acabou em festa, alguns alunos ganharam adereços dos personagens principais da obra e a brincadeira seguiu ao som de Asa Branca, de Luiz Gonzaga.

 

GTParaíba da Rede de Leitura: ações em João Pessoa e Campina Grande

No dia 16 de agosto, o GTPB realizou duas atividades para compartilhar as experiências na área de livro, leitura e inclusão da pessoa com deficiência.A primeira foi uma roda de conversa no Instituto Federal da Paraíba – Campus João Pessoa, que contou com membros do GT e parceiros do IF. Esse encontro também contou com a parceria do GTPE, que veio de Recife para compartilhar saberes e estratégias de atuação em rede.
Na roda de conversa foram abordados temas na área do direito à informação e leitura; disponibilização de livros acadêmicos em formato acessível; articulação entre instituições de ensino e de atendimento aos jovens com deficiência e o fortalecimento de práticas esportivas; e uma agenda temática a ser construída pelo GT.
Durante o encontro foi feita uma articulação para o lançamento do projeto Regionais na capital João Pessoa.

A segunda agenda foi uma visita ao Instituto de Educação e Assistência aos Cegos do Nordeste, na cidade de Campina Grande. Nessa atividade parceiros do GTPB,do GTPE, do Instituto, da Universidade, do IFPB (Campus João Pessoa) dialogaram com crianças, jovens e adultos, profissionais e participantes dos projetos do Instituto, sobre a importância da leitura e da produção de materiais acessíveis para as pessoas com deficiência visual.

 

Reunião GTMS: diálogo em rede para lançamento do projeto Regionais

Dia 23 de agosto o GTMS ser reuniu na biblioteca do ISMAC – Instituto Sul Mato Grossense para Cegos Florivaldo Vargas, para articular ações de livro e leitura em parceria.

O encontro contou com a presença de parceiros do CAPDV/MS, da Biblioteca Municipal de Campo Grande e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo – SECTUR e teve como principal objetivo dialogar sobre uma ação local voltada para o direito à leitura inclusiva para a pessoa com deficiência e outras populações do estado.

Essa ação também será feito o lançamento do Projeto Regionais no Mato Grosso do Sul.

GT Paraíba da Rede de Leitura: parceria intermunicipal e interestadual

No dia 16 de agosto, o GTPB realizou duas atividades para compartilhar as experiências na área de livro, leitura e inclusão da pessoa com deficiência.

A primeira foi uma roda de conversa no Instituto Federal da Paraíba – Campus João Pessoa, que contou com membros do GT e parceiros do IF. Esse encontro também contou com a parceria do GTPE, que veio de Recife para compartilhar saberes e estratégias de atuação em rede.

Na roda de conversa foram abordados temas na área do direito à informação e leitura; disponibilização de livros acadêmicos em formato acessível; articulação entre instituições de ensino e de atendimento aos jovens com deficiência e o fortalecimento de práticas esportivas; e uma agenda temática a ser construída pelo GT.

Durante o encontro foi feita uma articulação para o lançamento do projeto Regionais na capital João Pessoa.

A segunda agenda foi uma visita ao Instituto de Educação e Assistência aos Cegos do Nordeste, na cidade de Campina Grande. Nessa atividade parceiros do GTPB,do GTPE, do Instituto, da Universidade, do IFPB (Campus João Pessoa) dialogaram com crianças, jovens e adultos, profissionais e participantes dos projetos do Instituto, sobre a importância da leitura e da produção de materiais acessíveis para as pessoas com deficiência visual.

VI Encontro da Rede de Leitura Inclusiva GT Pernambuco

Nessa terça-feira, dia 16, participamos dos eventos em comemoração a Semana Estadual e Municipal da Pessoa com Deficiência, organizado pelo GT Pernambuco da Rede de Leitura Inclusiva em parceria com Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco  e a Secretarias Estadual e Municipal de Educação.

Esse foi o VI Encontro da Rede de Leitura Inclusiva GT Pernambuco que possibilitou o diálogo com alunos, professores e demais profissionais da área de livro, leitura e pessoa com deficiência. Durante a atividade o público abordou os desafios e potências de promover a leitura em diversas formas e com diferentes públicos, pensando em parceria.

As atividades da Semana Estadual e Municipal da Pessoa com Deficiência realizada na Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco se estenderá até dia 18/08, com mesas de diálogos, Momento Poético, Visita Guiada com acessibilidade e Contação de Histórias em formatos acessíveis: libras e audiodescrição.

Participem!

 

Rede de Leitura Inclusiva na 2ª edição da Fligê – Feira Literária de Mucugê

A Rede de Leitura Inclusiva foi convidada a participar da 2ª edição da Fligê – Feira Literária de Mucugê/BA, que aconteceu de 10 a 13 de agosto.

O tema “Os percursos da leitura inclusiva” foi o foco do diálogo mediado pela professora Selma Matos (UESB) e contou também com os convidados Arnaldo Godoy (Uberlândia/MG) Lilian Menenguci (Rede GTES).

Além dessa roda de conversa, participamos com exposição dos livros da Fundação em parceria com a Acide – Associação Conquistense de Integração do Deficiente, organização parceira da Rede sediada em Vitória da Conquista. No stand foram realizadas atividades de leitura com crianças que participaram da Fligezinha.

 

Piauí dialoga sobre Leitura Inclusiva e Projeto Regionais

O Grupo de Trabalho da Rede de Leitura Inclusiva do Piauí se reuniu em 02 de agosto para dialogar sobre ferramentas e estratégias colaborativas que incluam as pessoas com deficiência visual e outras deficiências nas ações locais de educação, cultura e comunicação, entre outras áreas.

Reunidos na Universidade Federal do Piauí – UFPI, parceiros da Universidade, do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência – CONADE, da Associação dos Cegos do Piauí – ACEP, Comradio do Brasil, da Fundação de Apoio às Entidades dos Cegos do Piauí – FACEP, abordaram as conquistas e potencialidades para a efetivação da participação das pessoas com deficiência em ações de livro, leitura e direito à informação.

O GT dialogou sobre o Projeto Regionais e pré-agendou a Roda de Leitura para uma ação, que será construída pelo GT e seus parceiros locais, nas atividades de celebração do aniversário do Estado do Piauí, em 19 de outubro de 2017.

Concurso de Leitura Braille

A Rede Nacional de Leitura Inclusiva – FDNC com o GT Goiás Quer saber:

Será que os cegos estão abandonando o sistema Braille? Será que os leitores de tela com suas vozes sintetizadas podem proporcionar o mesmo prazer na leitura de um livro como o tatear das letras inventadas por Louis Braille? Para descobrir como está a capacidade de leitura e percepção dos pontos em relevo na ponta dos dedos das pessoas com deficiência visual, venha participar do concurso de leitura Braille.

Os participantes serão divididos em categorias: crianças, adolescentes e adultos. O primeiro lugar de cada categoria receberá um prêmio especial, e todos receberão medalha pela participação.

Apoio:

Associação dos deficientes Visuais do Estado de Goiás – ADVEG

Centro Brasileiro de Reabilitação e Apoio às Pessoas com Deficiência Visual – CAP/CEBRAV

Realização:

Biblioteca Braille “José Álvares de Azevedo” – BBJAA

 

O quê? Concurso de leitura Braille

Quando? 30 de junho de 2017 às 14:00

Onde? Praça Cívica, número 02, hall de entrada do Centro Cultural “Marieta Telles Machado”.

 

 

Itabuna: FURC realiza o II encontro Rede de Leitura Inclusiva

Aconteceu na terça – feira, 06 de Junho, na Fundação Regina Cunha – FURC, auditório DEHORC, o II Encontro da Rede de Leitura Inclusiva do GT Itabuna – Bahia.

No período da manhã foi realizada a Oficina de Leitura Inclusiva, e à tarde uma roda de conversa com o tema “Fortalecimento do Trabalho em Rede”. Angelita Garcia, representante da Fundação Dorina Nowill, conduziu a Oficina de Leitura Inclusiva, que teve como objetivo fomentar ações para que pessoas com deficiência disponham de oportunidades diversificadas de acesso ao livro e à leitura, e também mediou a roda de conversa.

Estiveram presentes representantes de instituições de Itabuna, Itapetinga e Una: CEPEI, Secretaria de Educação, CIONF, COMPEDE, FICC, APAE, UESC, Núcleo Territorial de Educação, Agentes Comunitários de Saúde, CAP Grapiúna, professores da rede Municipal e Estadual de ensino.

GT ESPÍRITO SANTO POTENCIALIZA AS AÇÕES DA REDE DE LEITURA INCLUSIVA NA CAPITAL CAPIXABA

Potencializar e democratizar o acesso ao livro, à leitura e à literatura para pessoas com deficiência. Essa foi a proposta do V Encontro da Rede de Leitura Inclusiva – GT Espírito Santo, que aconteceu nestas quinta (25) e sexta (26), no Museu Capixaba do Negro “Veronica da Pas” (Mucane), na capital capixaba.

O encontro se deu em dois dias. No primeiro, fora realizada a Oficina de Leitura Inclusiva. No segundo, uma roda de conversa a partir do tema “Fortalecimento do Trabalho em Rede”.

“Participar dessa ação reitera nosso compromisso, pessoal e coletivo, com as políticas e práticas da área de acessibilidade para a construção de uma sociedade que seja, indistintamente, para todos”, afirmou Lilian Menenguci, assessora técnica da Secretaria de Cultura de Vitória e integrante da Rede de Leitura Inclusiva – GT Espírito Santo.

Angelita Garcia, representante da Fundação Dorina Nowill, conduziu a Oficina de Leitura Inclusiva, que teve como objetivo fomentar ações para que pessoas com deficiência disponham de oportunidades diversificadas de acesso ao livro e à leitura e também mediou a roda de conversa.

A Oficina

A oficina, que aconteceu na quinta-feira (25), das 14h às 18h, teve início com uma provocação acerca de “mitos” que envolvem a questão da pessoa com deficiência, de modo geral, e da pessoa com deficiência visual, de maneira particular. Como elemento disparador, foram apresentadas frases que reproduzem estereótipos de questões inerentes ao processo inclusivo.

Em seguida, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer alguns recursos utilizados para escrita, leitura e cálculo, como: reglete, punção, máquina braille e sorobã.

Esse momento, absolutamente rico pela troca de saberes e fazeres, contou com a participação das professoras Erondina Miguel Vieira e Helena Abreu, ambas especialistas na educação de pessoas com deficiência visual, que se propuseram a apresentar, didaticamente, cada um dos recursos capazes de tornar acessível a leitura e a produção de textos por pessoas com baixa visão e cegueira. As ações foram referenciadas por Sandro Bermudes, profissional que atua no Setor Braille da Biblioteca Pública Estadual, pessoa com deficiência visual. Livros em formatos acessíveis, também foram apresentados aos participantes.

Angelita também abordou o tema “audiodescrição”. Durante a sua explanação, destacou a importância de se pensar na técnica que sustenta tal atividade. Segundo ela, “é de extrema importância não atribuir juízo de valor às descrições”. A atividade envolveu todo o grupo que sempre se apresentou ativo, curioso e disponível para a tarefa de seguir tecendo em rede.

A Roda de Conversa

Encerrando as atividades do V Encontro, aconteceu, na manhã da sexta-feira (26), das 10h às 12h, a roda de conversa “Fortalecimento do Trabalho em Rede”, que tratou das experiências sobre a leitura na perspectiva inclusiva, além da ampliação e do fortalecimento de políticas e práticas de acessibilidade construídas por meio de ações colaborativas entre os parceiros da rede.

Como iniciativa para a ampliação de experiências sobre a leitura na perspectiva inclusiva, o GT encaminhou uma ação inédita na capital capixaba: a oferta de uma Oficina de Contação de Histórias para Professores Intérpretes Surdos da Rede Municipal de Ensino de Vitória. O Grupo Chão de Letras, formado por Contadoras de Histórias, por meio da Biblioteca Pública Municipal Adelpho Poli Monjardim, em parceria com a Secretaria de Educação de Vitória, mediará a atividade que já será realizada no mês de junho.

Pensando em estratégias para o fortalecimento da rede, o GT destacou algumas necessidades sobre as quais se debruçará com o objetivo de ampliar o seu alcance:

  • Ampliar a participação de outros municípios, especialmente da Região Metropolitana da Grande Vitória, no GT Espírito Santo;
  • Elaborar projetos de captação de recursos para o processo de produção, fomento e divulgação de ações acessíveis;
  • Estimular o cadastro de agentes culturais, públicos e privados, na Dorinateca para o recebimento de livros acessíveis;
  • Mapear instituições e agentes que atuam na perspectiva inclusiva;
  • Potencializar os instrumentos de comunicação das iniciativas da rede, de modo geral, tanto quanto de seus colaboradores, de forma particular;
  • Utilizar o espaço do blog redeleiturainclusiva.org.br como espaço de divulgação e conexão com outros GTs do Brasil;

O evento, realizado pelo GT Espírito Santo, contou com a participação de profissionais da Educação, da Cultura, sociedade civil, agentes culturais, como contadores de histórias e mediadores de leitura, e de estagiários do curso de qualificação de Mediadores para Atendimento ao Público. Nessa rede, a Biblioteca Pública do Estado do Espírito Santo, Biblioteca Pública Municipal Adelpho Poli Monjardim, Instituto Luiz Braille do Espírito Santo, Secretaria de Educação de Vitória e Secretaria de Cultura de Vitória são parceiros diretamente conectados. O desafio, agora, é seguir conectando mais parceiros para que seja possível ampliar e, cada vez mais, fortalecer a rede.


Fonte: Prefeitura de Vitória (Maio,2017).
Crédito das fotos: Henrique Breciane (Navi Brasil)