Início conteúdo principal

REDE DE LEITURA INCLUSIVA GT-RS POA

Profª Drª Lizandra Brasil Estabel

Profª Drª Eliane Lourdes da Silva Moro

Uma rede significa vários pontos unidos e interligados formando uma teia. Pensando em pessoas, Castells (2000) conceitua que redes são estruturas sociais, em um sistema aberto, que integram nós que se comunicam nessa teia, compartilhando os mesmos códigos de comunicação.

A tessitura da Rede Nacional de Leitura Inclusiva, suas perspectivas e desafios, iniciou no mês de junho de 2016, em São Paulo, no encontro promovido pela Fundação Dorina Nowill quando foi criada a Rede de Leitura Inclusiva GT-RS POA construindo seus primeiros passos e vencendo desafios no acesso à cultura por pessoas com deficiência, estimulando a leitura inclusiva por meio de mediadores de leitura para todos.

Tecendo a rede na FDN em São Paulo

spNa imagem a Profª Lizandra Estabel, a bibliotecária Marília Pereira, a bibliotecária Ana Lucia Leite e a profª Eliane Moro.

Um dos destaques de eventos programados foi o I Encontro de Leitura Inclusiva, realizado em Porto Alegre, no dia 25 agosto do corrente. Organizado pelo Grupo Interinstitucional de Pesquisa LEIA: leitura, informação e acessibilidade, do IFRS e da UFRGS, foi uma iniciativa da Rede de Leitura Inclusiva no Rio Grande do Sul (GT-RS POA), com apoio do Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB10), do Conselho Municipal do Livro e da Leitura, entre outras instituições, a partir de uma parceria com a Fundação Dorina Nowill (FDN), de São Paulo, que contou com a presença de Perla Assunção, representante da FDN.

O encontro teve como objetivo servir de chamamento para que a sociedade e as Instituições que recebem acervos da FDN unam-se ao GT-RS POA na construção de uma grande rede de ações em prol das pessoas com deficiência para acesso ao livro, leitura, literatura e bibliotecas e um estímulo para que desenvolvam ações de inclusão.

Estudantes dos Cursos de Biblioteconomia (FABICO/UFRGS) e Técnico em Biblioteconomia (IFRS), estudantes de outros cursos e Instituições, bibliotecários, técnicos em Biblioteconomia, professores, mediadores de leitura, pessoas com deficiência, representantes de Instituições parceiras e comunidade em geral, puderam assistir palestras, na parte da manhã e participar de oficinas, no turno da tarde.

Público participante no Evento

poaNa imagem o público de aproximadamente 200 pessoas assiste a palestra sobre audiodescrição com Mariana Baierle e, ao seu lado, interprete de LIBRAS.

A mesa de abertura do encontro, no início da manhã, contou com a presença do Diretor Geral do IFRS – Campus Porto Alegre, Marcelo Schmitt, da representante da Fundação DorinaNowill, Perla Assunção; do Presidente do Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB10), Alexsander Ribeiro; do Chefe Substituto do Departamento de Ciências da Informação da FABICO/UFRGS, Valdir José Morigi; do Coordenador do Curso de Biblioteconomia da FABICO/UFRGS, Rodrigo Silva Caxias de Sousa; e da Coordenadora do Curso Técnico em Biblioteconomia do IFRS – Campus Porto Alegre, professora Lizandra Brasil Estabel.

Palestra de Perla Assunção representante da FDN

perlaApós a abertura oficial, iniciaram as palestras, que abordando temas como Rede Nacional de Leitura Inclusiva: perspectivas e desafios; Rede de Leitura Inclusiva GT-RS POA e os primeiros passos da construção; desafios no acesso à cultura por pessoas com deficiência; leitura inclusiva de surdos, surdocegos e línguas de sinais e leitura inclusiva e os cegos.

Oficina A Inclusão dos Cegos e as Tecnologias

perla_lizNa imagem Perla Assunção, Profª Lizandra Estabel e os ministrantes da Oficina: Larissa e Cristian que possuem deficiência visual e o Prof. Alexandre Cardoso.

No turno da tarde, os participantes participaram das oficinas: A Inclusão dos Cegos e as Tecnologias; Contação de Histórias e audiodescrição; Língua Brasileira de Sinais: que língua é essa?; Mediação da Leitura: afetos e fazeres; BiblioPetTerapia; e Re-pensar o Conto (com a mala mágica e seus mistérios).

 Oficina de BiblioPetTerapia

 petNa imagem os participantes sentados em roda e com a pet interagindo.

Além disso, durante o Evento, esteve exposta no átrio do campus uma bicicloteca (bicicleta + biblioteca), disponível para ser acessada pelo público que circulava pelo local.

Exposição da bicicloteca

biciNa imagem os participantes no átrio do campus com uma bicicloteca (bicicleta + biblioteca).

Alguns depoimentos dos participantes do Evento:

“Precisamos de mais eventos como esse, de tamanha riqueza. As vivências que vi hoje foram estimulantes para seguir adiante.” – PQM

“Gostaria que oportunizasse mais oficinas e encontros aos professores e alfabetizadores da rede pública.” – RCB

“O encontro proporcionou uma programação diversificada e de qualidade, abordando diferentes aspectos da leitura inclusiva […]” – DA

“Foi muito positivo conhecer como as tecnologias estão sendo utilizadas pelos cegos e o que podemos fazer para agregar mais acessibilidade. Ajudou a repensar sobre as pequenas coisas que podem fazer grande diferença.” – LMG (Oficina – Alexandre Cardoso)

“Achei muito bom a forma como foi desenvolvida, interativa e com a participação na parte expositiva, de duas pessoas com deficiência visual”. – MF (Oficina – Alexandre Cardoso)

Uma ideia sobre “REDE DE LEITURA INCLUSIVA GT-RS POA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *