Arquivo da tag: livros

foto de dezenas de adultos sentados em cadeiras e crianças sentadas no chão do auditório da Fundação Dorina. À direita, de frente pra eles e sorrindo, está a escritora Fernanda Emediato.

I Semana da leitura

Em comemoração ao dia Nacional da leitura e do livro (12 e 29/10), a biblioteca circulante da Fundação Dorina organizou para seus usuários uma semana com muitas atividades de incentivo a leitura. As atividades aconteceram do dia 23 ao dia 27 do mês de outubro e nessas atividades os leitores tiveram a oportunidade de trocas de experiências, interação e maior integração e contato com a biblioteca.

foto de 11 pessoas sentadas em círculo. Ao centro há uma mesinha de vidro. Ao fundo há uma telão com o título do livro discutido.

Na segunda-feira (23) tivemos o café literário que nos proporcionou um debate reflexivo e com muitas trocas de ideias e pensamentos distintos. O livro discutido foi “A insustentável leveza do ser” do autor Milan Kundera.

O segundo dia (25) de atividades foi direcionada ao publico infantil. Neste dia, as crianças puderam ouvir a historinha da “Menina sem cor” pela autora Fernanda Emediato. Além da contação de histórias as crianças receberam desenhos dos personagens em relevo para colorirem em grupo.

No terceiro dia (26) tivemos a presença do professor, palestrante, tradutor e escritor brasileiro Gabriel Perissé que nos falou sobre “Ler, pensar e escrever”.
foto do auditório da Fundação Dorina com dezenas de pessoas sentadas. Em segundo plano, de frente para a plateia, está o palestrante Gabriel Perissé. Ele tem pele clara, cabelos grisalhos, barba curta e usa óculos de armação preta.

O último dia de atividades (27) foi marcado por um bate papo descontraído e divertido com alguns de nossos ledores. Neste dia, os leitores tiveram a oportunidade de conhecer as pessoas que gravam os livros disponibilizados para empréstimo na biblioteca e puderam tirar todas as dúvidas relacionadas a está linda profissão.

A semana da leitura promoveu atividades que visam estimular e desenvolver o hábito pela leitura e incentivar ainda mais aqueles que amam este universo recheado de encantamento, descobertas e informação.

Reunião GTMS: diálogo em rede para lançamento do projeto Regionais

Dia 23 de agosto o GTMS ser reuniu na biblioteca do ISMAC – Instituto Sul Mato Grossense para Cegos Florivaldo Vargas, para articular ações de livro e leitura em parceria.

O encontro contou com a presença de parceiros do CAPDV/MS, da Biblioteca Municipal de Campo Grande e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo – SECTUR e teve como principal objetivo dialogar sobre uma ação local voltada para o direito à leitura inclusiva para a pessoa com deficiência e outras populações do estado.

Essa ação também será feito o lançamento do Projeto Regionais no Mato Grosso do Sul.

círulo amarelo com um largo sorriso e óculos escuros com lentes redondas

Conheça o DDReader, o aplicativo de leitura da Fundação Dorina Nowill

O DDReader é o aplicativo de leitura de livros digitais criado pela Fundação Dorina Nowill Para Cegos em parceria com a Results, empresa desenvolvedora de softwares. Além de ser uma forma de deixar o mundo da leitura mais próximo de todos, o Dorina Daisy Reader se destaca pela sua acessibilidade para deficientes visuais.

Com uma versão para computadores já consagrada, durante a Bienal do Livro de 2014 foi lançada a versão para dispositivos móveis com sistema Android, fato que contribuiu ainda mais para a difusão da proposta, permitindo que mais pessoas possam  ter acesso a livros adaptados em qualquer lugar e na hora que desejar.

Com um visual simples e objetivo, o DDReader oferece inúmeros recursos que ajudam não só as pessoas cegas e com baixa visão, mas também qualquer outra pessoa com capacidade visual reduzida como idosos, por exemplo, a lerem seus livros favoritos no formato Daisy (Digital Accessible Information System, sistema de informação digital acessível em português livre), um formato de livro digital criado exclusivamente para facilitar a leitura de pessoas com dificuldades para enxergar ao permitir a navegação em um texto escrito que são narrados com a ajuda de aplicativos específicos.

Imagens do aplicativo funcionando em um smartphone Android

Imagens do aplicativo funcionando em um smartphone Android (Foto: Reprodução)

Depois de poucos minutos o usuário já consegue se adaptar à navegação e já ter uma ideia do potencial do DDReader. Através de uma tela dividida em seis áreas (representado no quadro da esquerda da imagem acima), o usuário consegue navegar pelo menu, escolher  livro que deseja ler ou então modificar as configurações de acordo com o seu gosto. Logo no menu inicial é possível ativar um tutorial que ensina o usuário de primeira viagem a ter uma melhor experiência e saber tudo o que o aplicativo é capaz, tudo isso sendo narrado em voz alta para que a pessoa cega ou com visão limitada consiga entender o que se passa.

O retângulo do meio da imagem acima representa a área do livro, na qual o usuário pode navegar sem restrições por qualquer parte da obra, indo para a página, parágrafo ou palavras que desejar. Para ajudar as pessoas cegas, o DDReader lê o texto em voz alta, inclusive lê a descrição de imagens e capas, para que o deficiente não perca nenhuma informação.

A navegação pelo app é simples, a tela é dividida em seis quadrados, cada um responsável por uma ação, ao tocar em cada área a ação pela qual ela é responsável é falada em voz alta, o que ajuda as pessoas cegas a se orientarem. Para quem não está acostumado com este tipo de naveção ou não precisa dele, é possível desligá-lo.

Para que o usuário novato tenha uma uma experiência inicial com um livro no formato Daisy, junto com o aplicativo também vem o livro “Para quem quer ver além: lições de Dorina de Gouvêa Nowill”, através desta obra oferecida gratuitamente o usuário pode ser a sua primeira experiência no DDReader.

O aplicativo de leitura ainda conta com recursos de marcadores, anotações busca por palavras, ampliação do texto na tela, ajustes de preferências e muito mais, tudo para tornar a experiência de ler/ouvir um livro mais tranquila e interessante.

A versão atualizada do aplicativo, o DDReader+, está disponível para dispositivos com sistemas Android na Play Store e para PC no site oficial (para acessar clique aqui) de forma gratuita e, para que o app funcione nos dispositivos, é imprescindível que esteja instalado um sistema de voz sintetizada, no caso de smartphones e tablets atuais, por exemplo, este recursos já vem de fábrica, no Windows, dependendo da versão, é necessário instalar o SAPI5, da própria Microsoft, facilmente encontrado para download na web.

Além do português, o app também está disponível em inglês e espanhol. Os usuários brasileiros podem ter acesso gratuito a livros neste formato através da própria Fundação Dorina Nowill, para ter direito às cópias é preciso se cadastrar na Biblioteca da fundação e, após a aprovação, poder escolher os livros que deseja ler. Além dos formatos Dayse, a instituição ainda disponibiliza cópias de livros em braile e em áudio, para conhecer o catálogo de livros completo clique aqui, você será direcionado à página do catálogo e poderá verificar os formatos nos quuais a obra que deseja está disponível.

Para mais informações a respeito do formato de livros Daisy e como consegui-los através da Fundação Dorina Nowill clique aqui, você será direcionado para uma matéria especial que criamos para explicar tudo sobre este tipo de arquivo.

imagem com um rapaz lendo um livro daisy no computador

O que são livros Daisy?

O Daisy (Digital Accessible Information System, sistema de informação digital acessível) é um sistema de livros digitais sonoros  que tem como objetivo ajudar deficientes visuais ou qualquer outra pessoa que possua dificuldade de acesso a materiais escritos tradicionais, se caracterizando como mais uma ferramenta na inclusão no mundo da leitura.

O sistema foi criado em 1994 na Suécia com a ideia base de usar gravações digitais inseridas em marcas estruturais em textos para facilitar a navegação do leitor cego. Desde então, com os avanços tecnológicos, tal sistema foi evoluindo e se tornando cada vez mais prático para os deficientes.

Atualmente os deficientes visuais contam com livros em braile, ampliados, no formato digital e em áudio, o sistema Daisy soma mais esforços para que todos possam acessar os mais diferentes tipos de conteúdos, independente da sua condição física, permitindo de fato ainda mais a inclusão cultural e social.

A princípio o Daisy funcionava da seguinte forma: um arquivo de áudio é criado narrando o texto escrito, ambos possuem marcações que promovem sua sincronização, um outro arquivo ajuda na navegação por entre estes blocos de texto, permitindo que o usuário possa avançar, retroceder e acessar qualquer parte do texto. Esta é uma explicação simplificada do processo que, em essência, é aplicado até os dias de hoje, sendo que, graças aos avanços tecnológicos e o desenvolvimento de vozes sintetizadas, não é mais necessário efeticamente usar a voz humana para gravar os arquivos de áudio.

Além de ser acessível, os livros Daisy ainda possuem muitas outras vantagens para o usuários como, por exemplo, poder ir direto para uma determinada página, fazer anotações, marcar um texto e muitas otras ações parecidas com as que podemos realizar em livros impressos tradicionais.

Na internet e nas lojas de aplicativos estão disponíveis diversos tipos de leitores de livros Daisy, um deles é o DDReader, para conhecê-lo melhor clique aqui para ser direcionado à uma outra matéria que fizemos sobre o app.

Mas, além dos softwares de leitura, também é preciso ter os livros neste formato, os mesmo também podem ser encontrados na web e instituições para deficientes visuais, como é o caso da Fundação Dorina Nowill para Cegos, que possui um grande acervo de livros em braile, áudio e em Daisy para os interessados. Clique aqui para conhecer o catálogo completo de livros da fundação e os formatos nos quais eles estão disponíveis. Quem tem cadastro na biblioteca online Bookshare ainda conta com mais livros neste formato em outras línguas, para saber mais clique aqui para ser direcionado à página oficial da biblioteca.

Para saber mais a respeito da biblioteca da Fundação Dorina Nowill clique aqui para conhecer melhor o projeto ou entre em contato através do e-mail biblioteca@fundacaodorina.org.br ou então ligue para (11) 5087-0991.