Arquivo da tag: acessibilidade

O dia 13 de Dezembro é o Dia Nacional do Deficiente Visual e será comemorado no dia 16 de Dezembro em Arapiraca-AL.

 

 

 

 

 

 

 

 

Cartaz retangular, na vertical. Fundo: olho castanho e cílios pretos. Texto com letras coloridas.

No canto superior, com letras brancas, legenda: Dia Nacional do Deficiente Visual.

Centralizado, em frente ao globo ocular, palavras soltas, amarelas: “ Exposição Braille, Apresentações Artísticas, Exposição Tátil, Bate-papo”.

No canto inferior, à esquerda, em um quadro com bordas amarelas, fundo branco e letras vermelhas: “16 de Dezembro de 2017. Sábado. Horário: 10h às 22h. Local: Arapiraca Garden Shopping. Entre parênteses: corredor próximo à praça de alimentação”.

No canto inferior direito, logomarcas: do Arapiraca Garden Shopping; da Rádio Gazeta FM Arapiraca, 101,1 MHZ e da Escola Estadual Adriano Jorge.

Imagem mostra apenas os pés de um deficiente visual andando pela rua com sua bengala.

Dia Nacional da Pessoa com Deficiência Visual – DEZEMBRO 2017

Olá para todos que fazem a Rede Nacional de Leitura Inclusiva. Estou realizando mais um evento em Arapiraca–AL, dia 16 de DEZEMBRO de 2017, para comemorarmos ” O dia Nacional da Pessoa com Deficiência Visual ” que é dia 13 de dezembro.

E gostaria de convidar todos vocês para fazer parte deste momento, junto comigo e todos os profissionais voluntários que estarão abraçando o Projeto: “Nas entrelinhas, a deficiência visual”.

O evento é gratuito e acontecerá, sábado, dia 16 de Dezembro de 2017, no Arapiraca Garden Shopping, no corredor que dá acesso à praça de alimentação, no horário das 10h às 22h.

O projeto tem dois objetivos:
1. destacar a importância da prevenção da deficiência visual e
2. ressaltar a atenção da sociedade e das Instituições, para uma proposta de inclusão social dos deficientes visuais dentro da sociedade e principalmente dentro das Instituições Educacionais.

É notória a necessidade do desenvolvimento de projetos nessa área, para que se possa proporcionar aos deficientes visuais independência, com qualidade de vida, através da acessibilidade, da comunicação, da mobilidade e da integração. Além de ressaltar a importância da Educação tirando-os da exclusão.

Para abraçar o nosso público é uma exigência, que os livros sejam impressos em Braille e à tinta, com letras ampliadas. E os livros foram fornecidos por esta Instituição Fundação Dorina Nowill para Cegos à Escola Estadual Adriano Jorge. Teremos ainda materiais diversos e adaptados, com texturas, e muito mais. Além de apresentações Musicais e Teatral. Estou tentando conseguir ainda áudio-descrição e intérprete de libras, que são importantíssimos.
Será um projeto que envolve a pessoa com deficiência, a educação e a cultura.

Venham fazer parte deste momento, que será muito legal.

Agradeço em nome de toda a equipe.

Silvana Maranhão

Na foto, um grupo de 12 pessoas em pé, lado-a-lado, sorrindo e segurando livros da Coleção Regionais .

Coleção Regionais é lançada no 5º Encontro “Pará Ler”

Cravado no norte do País, ao sudoeste na Ilha de Marajó, Breves é um município referência para a região. Foi lá, que depois de 12 horas de barco, partindo da capital Belém, chegamos para o lançamento da Coleção Regionais, no 5º Encontro “Pará Ler”, ( que aconteceu entre os dias 13 e 15 de setembro) e reuniu representantes de Bibliotecas Públicas do Estado e dos municípios próximos.

Por lá,  a roda de Leitura Coleção Regionais – A inclusão através da cultura brasileira em suas expressões,  mediada por Angelita Garcia e com a presença de profissionais das bibliotecas do entorno, permitiu um mergulho nas obras que apresentam nossas riquezas culturais.

Duas pessoas com deficiência visual, Cristiane do Socorro da Costa Demes, 33 anos e Yasmim Correa Miranda, 7 anos, ajudaram nessa imersão inclusiva na hora leitura.

“Na oficina aprendemos como fazer a leitura para os cegos e o mais importante aprendemos como transcrever a imagem e como ter cuidado com as palavras na apresentação da obra”, contou Rita Sanches, coordenadora da Biblioteca Municipal Eustórgio Miranda, de Breves.

Quem também contou um pouco da experiência foi Socorro Baia, diretora da Biblioteca Municipal Vertano Rocha, de Belém: “ Esse encontro abriu muitas portas. Essas discussões são de um aprendizado único e de extrema importância que é a acessibilidade, além disso, é muito bonito a sensibilização e valorização cultural aplicada no projeto desenvolvido pela Rede de Leitura Inclusiva”, finaliza.

+ SOBRE O PROJETO

A Coleção Regionais, a cultura brasileira acessível a todos, vai distribuir 63 mil livros para organizações, escolas e bibliotecas que atendem pessoas com deficiência visual em formatos acessíveis e interativos e como forma de estimular a literatura inclusiva, serão realizadas rodas de leitura em 20 municípios brasileiros com a utilização da Coleção. Para saber mais leia o texto completo.

PARA RECEBER LIVROS ACESSÍVEIS
A fundação Dorina Nowill está em plena campanha de recadastramento, para continuar recebendo gratuitamente nossos livros acessíveis, entre no site  www.dorinateca.org.br, nossa biblioteca digital e recadastre-se.Na foto, sete pessoas em volta de uma mesa onde estão expostos os livros da coleção regionais, duas pessoas folheiam livros e, as outras cinco dialogam, com os livros em mãos

Na imagem, três mulheres adultas em semicírculo dialogando e exibindo páginas de um livro da Coleção Regionais e uma criança com baixa visão lendo a capa de um livro

XXI Semana da Pessoa com Deficiência

Dia 29 de agosto de 2017, a Escola Estadual Adriano Jorge participou XXI Semana da Pessoa com Deficiência em Arapiraca – AL. O evento foi organizado pela 5ª Gerência Regional de Ensino da Secretaria da Educação do Estado de Alagoas. Realizado no período de 8h às 15h, no auditório da Escola Estadual Professora Izaura Antônia Lisboa-EPIAL. No decorrer do evento aconteceram: entrevistas, apresentações, palestras e exposições, para profissionais da área da inclusão e alunos. Durante a exposição, Eu, Maria Silvana Maranhão da Costa (Transcritora e Ledora Braille) apresentei os recursos utilizados para o atendimento aos alunos com deficiência visual na sala de AEE da Escola Estadual Adriano Jorge. Os equipamentos utilizados para alfabetização, a escrita e a leitura do Sistema Braille: a máquina Perkins Braille; a reglete tradicional; o punção; a borracha; o papel e as lupas. Os materiais doados pela Fundação Dorina Nowill à Escola: os livros em Braille; livros com letras ampliadas e áudio livros em cd’s. Apresentei o soroban, o Communicare, o quadro sensitivo e outros materiais adaptados. Foi mais um dia em prol da disseminação da educação inclusiva.
A Escola Estadual Adriano Jorge parabeniza a toda equipe da 5ª Gere pelo evento, em nome da Gerente Regional, Eliete Rocha e agradece a grande parceria com a Fundação Dorina Nowill.

Maria Silvana Maranhão da Costa
Transcritora e Ledora Braille
Escola Estadual Adriano Jorge
Arapiraca-AL

XXI Semana da Pessoa com Deficiência em Arapiraca-AL

Dia Nacional do Braille

O Dia Nacional do Braille também foi comemorado em Arapiraca-AL.

Boa noite a todos da rede leitura Inclusiva. Meu nome é Maria Silvana Maranhão da Costa. Sou monitora da Educação Especial, como transcritora e leitora Braille da Escola Estadual Adriano Jorge – 5ª GERE – Arapiraca-AL. Faltando 15 dias, para o Dia 8 de abril de 2017, resolvi comemorar o Dia Nacional do Braille. E foi assim repentinamente, guiada por uma inspiração, que convidei alguns profissionais da área e alguns patrocinadores e todos aceitaram abraçar esse dia, como voluntários. O evento aconteceu no Arapiraca Garden Shopping, no dia 8 de abril, sábado, no horário das 10h até às 22h.

Durante a programação aconteceu à exposição do Sistema Braille: os equipamentos utilizados para a escrita e alfabetização dos Deficientes Visuais: a reglete tradicional; a reglete positiva; o punção; a borracha; o papel; a máquina Perkins Braille; livros em Braille; livros com letras ampliadas; lupas e áudio livros em cd’s. Além de outros instrumentos, incluindo o soroban. Nas apresentações foram exibidos vídeos relatando a história do Braille, do Louis Braille e de José Alvares de Azevedo. E ressaltando as apresentações: houve leitura em Braille, voz e violão e vários depoimentos de pessoas com deficiência visual. Contamos com alguns profissionais da área: Janaina Felix (professora da sala de AEE), Sônia Mara Maranhão da Costa (professora de Soroban), Maria Josira Pereira da Silva (reeducação visual) e Ana Maria Gondim (professora de Braille). Além de outros amigos que participaram da equipe, no dia do evento.

Dentre os patrocinadores, quero destacar e agradecer em nome de todos, ao Arapiraca Garden Shopping, a TV Gazeta de Alagoas, ao Jornal Gazeta de Alagoas e ao Sr. José Walter da Silva, Diretor da Rádio Gazeta FM Arapiraca, além da Jornalista Larissa Costa, da Agência Mídia Nova, que divulgaram o evento. E com essa divulgação, tivemos um público estimado entre 150 a 180 pessoas. E foi uma surpresa para todos, pois vieram pessoas de diversas cidades do interior do Estado, o que nos deixou mais motivados. A Escola Estadual Adriano Jorge agradece a Fundação Dorina Nowill, por atender nossos pedidos, ao solicitar materiais para a sala de recursos e pelo convite para fazer parte desta rede de leitura inclusiva, compartilhando esse momento importante.

O evento foi dedicado à sociedade e aos deficientes visuais, estes, muitas vezes ainda ausentes do ambiente escolar e de maior parte do convívio social. A Exposição do Sistema Braille mostrou que a inclusão e a acessibilidade, constroem um caminho de informação, educação e conquista de autonomia para os deficientes visuais.

Grupo Educação:
https://www.facebook.com/groups/429974510514098/?fref=ts

Links das Reportagens:

http://gazetaweb.globo.com/gazetadealagoas/noticia.php?c=304374

http://g1.globo.com/al/alagoas/bom-dia-alagoas/videos/v/programacao-especial-e-realizada-em-arapiraca-para-comemorar-o-dia-mundial-do-braile/5783868/

Acessibilidade: A Literatura como direito para todos

O acesso à literatura é direito de todos, e é por meio dela que a capacidade criativa, inventiva, a sensibilidade, a informação e a imaginação são estimuladas como formas de comunicação intersubjetiva, de expressão do ser humano e do acesso ao conhecimento construídos pela humanidade. Assim, partindo do pressuposto de que a promoção da acessibilidade atua como um empenho de se fazer valer o direito humano à cultura e à educação, bibliotecas brasileiras têm investido na educação e na inclusão de todos os membros da sociedade, com a promulgação de iniciativas e atitudes para que todos alcancem os livros nas bibliotecas.

Mesa-redonda do Círculo das Letras, Belo Horizonte, MG

 

Rede de Leitura Inclusiva do Paraná convida para palestras sobre Lei Brasileira de Inclusão e o acesso ao livro

No próximo dia 05 de maio às 13 horas na Biblioteca Pública do Paraná acontecerá o encontro da Rede de Leitura Inclusiva com palestras sobre o acesso ao livro na Lei Brasileira de Inclusão.  O evento é gratuito, aberto ao público e contará com os recursos de audiodescrição e comunicação em libras. Para inscrições e certificação contate: inscricaobraille@bpp.pr.gov.br.  Confira a programação:

Palestras:

Tema:  ACESSO AO LIVRO NA  LBI

Desembargador Federal do Trabalho – RICARDO TADEU MARQUES DA FONSECA   – Curitiba  /Pr.  Doutor em Direito,  especialista e mestre em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho.  Atuou na ONU para a redação da Convenção Internacional dos Direitos da Pessoa  com Deficiência, norma que o Brasil ratificou em agosto de 2008.   Contribuiu com a redação da Lei Brasileira de Inclusão na câmara dos Deputados.  É autor de diversos artigos e do livro “O trabalho da pessoa com deficiência e a lapidação dos direitos humanos.”

Tema: O ACESSO AOS LIVROS DIGITAIS

LEONDENIZ CANDIDO DE FREITAS – Servidor   do Tribunal Regional do Trabalho – Curitiba /Pr .  Coordenador  do Portal Mundo Cegal e presidente da Tecnoblind, Bacharel  em direito e Informática.

Tema: REDE DE LEITURA INCLUSIVA

PERLA ASSUNÇÃO – Fundação Dorina Nowill Para Cegos São Paulo /SP. Bacharel em Comunicação Social com especialização em Projetos Sociais e Políticas Públicas.

Local:  Auditório Poul Garfunkel 2º andar – Biblioteca Pública do Paraná

Data e horário: 5/05/2016 das 13h ás 17h

Contato: (41) 3221-4985

REALIZAÇÃO: ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DA BIBLIOTECA PUBLICA DO PARANÁ, MUNDO   CEGAL, UNINTER ,  FUNDAÇÃO DORINA  NOWILL PARA CEGOS,

Leitura Inclusiva fortalecida em Tocantins

A Rede de Leitura Inclusiva de Tocantins se reuniu no último dia 12 de abril na Secretaria Estadual de Educação para definir os próximos passos para 2016. Como leitura é um tema transversal as diversas áreas temos integrando a rede no Estado o Tribunal de Contas por meio de sua Biblioteca, Museus, Biblioteca Pública, Universidade e Instituto Federal, SESC, Universidade Ulbra e Secretaria de Estadual de Educação. Além do diálogo contínuo entre os participantes são previstos encontros presenciais temáticos que acontecerão trimestralmente. O próximo tema a ser trabalhado será a adaptação de materiais para pessoas com deficiência visual – Como fazer a leitura de mapas, tabelas, gráficos e imagens? O encontro será em agosto com a data a ser definida pelo grupo. Quem desejar fazer parte da rede contate a Biblioteca Pública do Estado nosso parceiro local.Também estivemos nas atividades da UNDIME- TO União dos Dirigentes de Municipais de Educação em encontro sobre Educação Infantil apresentando a Leitura Inclusiva aos professores de 139 municípios tocantinenses.  O proposito é capilarizar as ações da Rede de Leitura Inclusiva no Estado do Tocantins ampliando o acesso ao livro para todas as pessoas inclusive das pessoas com deficiência.

 

Descrição de imagem: Foto Perla e Dinalva pousam para foto segurando um certificado. Ao fundo slide projetado com informações de atividades de incentivo a leitura. Perla é negra, estatura mediana, cabelos na altura do ombro e usa óculos de grau. Dinalva é branca, altura mediana, cabelos longos e segura uma bengala.

Perla Assunção da Fundação Dorina Nowill e Dinalva Secretaria Estadual de Educação/CAP em palestra sobre Leitura Inclusiva no III Seminário de Educação Infantil “A Educação da Criança no Mundo

 

 

A Rede de Leitura Inclusiva São Paulo Convida a todos a participarem da II jornada Inclusiva

Encontro traz como tema práticas de leitura inclusiva na Educação e na Cultura

No dia 25 agosto acontecerá a segunda edição do encontro Jornada Inclusiva na sede da Fundação Dorina Nowill. O objetivo é incentivar práticas de leitura inclusiva aos profissionais que intermediam essas ações, como professores, educadores, mediadores de leitura, bibliotecários e demais interessados. Para isso o evento contará com apresentações das  experiências de leitura inclusiva da Fundação Dorina Nowill, Sebrae, Diversitas e Colégio Peretz. Na sequencia os participantes poderão vivenciar na prática a construção de atividades de leitura inclusiva.
O evento é gratuito e para participar deve ser feita inscrição por meio do link Clique aqui para inscrição.
Toda a construção do encontro foi realizada pela Rede de Leitura Inclusiva São Paulo – grupo formado por organizações comprometidas com a leitura e a inclusão e que se reúne mensalmente para tratar destas questões.
Esta iniciativa faz parte da Rede Nacional de Leitura Inclusiva que já está em 22 estados e mais o Distrito Federal. Participe da Rede em sua região!

Informações:

II Jornada Inclusiva – 25 de agosto de 2015 das 17h00 – 20h00

Tema: Práticas de Leitura Inclusiva na Educação e na Cultura

Apresentações: Fundação Dorina Nowill para Cegos, Diversitas, Colégio Peretz e Sebrae/Escola de Negócios

Vivência pelos participantes: Práticas de Leitura Inclusiva

Local: Fundação Dorina Nowill/ auditório – Rua Doutor Diogo de Farias, 558, Vila Clementino (próximo ao metrô Santa Cruz)

Contato: perla@fundacaodorina.org.br